domingo, 25 de janeiro de 2015

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Lembrança do IV Centenário

Dando sequência a inesgotável série de peças comemorativas do IV Centenário, apresento hoje um exótico quadrinho que foi usado como item de presenteação em 1954. O quadro traz todos os elementos da época: O símbolo do IV Centenário, o brasão da cidade, um postal do Anhangabaú e uma placa com o nome do homenageado. Uma peça interessante e com toda a linguagem da época!

 photo DSC04847_zps067dbf86.jpg

 photo DSC04853_zps90648907.jpg

 photo DSC04851_zps7fe52f0f.jpg

 photo DSC04852_zpsa8691d47.jpg

 photo DSC04849_zpsd24d8c8c.jpg

 photo DSC04855_zpsf664331b.jpg

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Casal paulista de 1932

Esta talvez seja a mais bela foto que possuo no meu acervo: O voluntário com o capacete de aço, a jovem com um olhar digno mas entristecido, a imagem de Nossa Senhora na mesa e o cachorrinho no colo. É possível ainda notar as alianças de ferro (mais largas que as de ouro) usadas pelo casal. A imagem me traz a memória alguns versos do poema Moeda Paulista de Guilherme de Almeida:

Ela, que vem na mão dos que se amaram,
Vale esse instante, que não teve fim,
em que dois sonhos juntos se ajoelharam,
quando a felicidade disse :”SIM”.

Vale o que vale a união de duas vidas,
que riram e choraram a uma só voz
e, simbolicamente desunidas,
vão rolar desgraçadamente sós.

Vale a grande renúncia derradeira
das mãos que acariciaram maternais,
o menino que vai para a trincheira,
e que talvez… talvez não volte mais…


 photo Scan0001_zps15f7bee0.jpg

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Barra de ouro da Campanha do Ouro de 1932

Para começar 2015 com o pé direito, trago aos estimados leitores do blog uma raridade!
Uma das 16 barras de ouro que foram fundidas com o ouro arrecadado para serem guardadas para posteridade. Apresentei neste link uma das barras de prata.

- No início da Revolução de 32 os bônus de guerra ajudavam a financiar a luta e eram bem aceitos, mas com as vitórias das tropas federalistas os bônus poderiam deixar de ter seu valor pago, então os revolucionários lembraram da campanha alemã na 1ª Guerra Mundial:
GOLD GAB ICH FUER EISEN - DEI OURO POR FERRO
Assim criaram a CAMPANHA DO OURO: DEI OURO PARA O BEM DE SÃO PAULO.

- A campanha arrecadou um total de 9.152.464$650 (em Réis) ou 120 Milhões de Cruzeiros (em dinheiro de 1951). Seria o equivalente a aproximadamente R$ 31.591.452,66 hoje em dia (atualização janeiro de 1951 a janeiro de 2010 tendo por base o índice IPC-SP FIPE)

- Com a Revolução irremediavelmente perdida, optou-se pela doação dos bens para a Santa Casa de Misericórdia (antes dos ditatoriais colocarem as mãos no dinheiro) e esta cuidou da fundição deste valor em barras de OURO E PRATA sendo que destas foram feitas 16 de OURO e 104 de PRATA em caráter comemorativo.

- 4 barras de prata e quatro de ouro foram doadas: Museu Paulista, Museu da Cúria Metropolitana, Associação Comercial de São Paulo e Museu da Santa Casa de São Paulo. As outras 12 de ouro e 100 de prata foram vendidas juntamente com diplomas e o dinheiro arrecadado repassado ao fundo da Santa Casa. Um parêntese muito interessante: Todos os diplomas comemorativos foram impressos em papel do ano de 1797 com o selo do Império de Portugal.

Abaixo vemos em detalhes de um conjunto com a barra de ouro número 2, que está em uma coleção particular em São Paulo. Agradeço ao dono da coleção por me permitir fotografar essa fantástica peça.

 photo image7_zpsd2d8dd29.jpg

 photo image4_zps82481745.jpg

 photo image2_zps8050bda7.jpg

 photo image3_zps6464cd65.jpg

 photo image5_zps865e8bd8.jpg

 photo image6_zpsf0cd13ac.jpg

domingo, 28 de dezembro de 2014

Capacete do Grupamento Aéreo

Em outubro do ano passado, mostrei um capacete de vôo dos anos 80 de fabricação americana do mesmo modelo usado pelos fundadores do GRPAe. Hoje mostro em detalhes um capacete mais moderno, usado pelo Grupamento Aéreo no início dos anos 2000. Já é um modelo ultrapassado, mas permanece com um belíssimo visual e linhas muito modernas.

O capacete é um aperfeiçoamento dos capacetes fabricados na década de 70 pela empresa nacional FORTEPLÁS, e é fabricado por uma empresa especializada em equipamentos aeronáuticos usando materiais de ponta e eletrônica avançada.
A cor adotada pelo GRPAe é o verde oliva em uma tonalidade próxima ao macacão de vôo -  no caso específico deste exemplar as lentes são de cor âmbar, melhorando a amplitude de visão do piloto durante o vôo.

 photo DSC04832_zpsc39514bb.jpg

 photo DSC04834_zps0a8f5bc3.jpg

 photo DSC04836_zps80425219.jpg

 photo DSC04837_zps7fefde86.jpg

 photo DSC04842_zps989be56d.jpg

 photo DSC04843_zpsdd89d48c.jpg

 photo DSC04846_zps84ac7c6d.jpg

 photo DSC04845_zpsd60d2eb4.jpg

Abaixo duas imagens do capacete em uso, gentilmente cedidas pelo Maj PM Freixo, piloto do GRPAe.

 photo Voo1_zps943d07b5.jpg

 photo Voo2_zps61ec7092.jpg

 photo DSC03928_zpsed2991d7.jpg

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Capacete do Regimento de Cavalaria 9 de Julho

Trago nestes dias finais de 2014 algumas imagens de um dos mais belos itens do fardamento militar paulista, com sua existência envolta em pura tradição: O Capacete de gala do Regimento de Cavalaria 9 de Julho.

O capacete foi inspirado no capacete usado por Frédéric Stattmuller, do 11o Regimento de Couraceiros do Exército Francês, quarto militar francês a integrar a Missão de Instrução, e que veio ao Brasil exclusivamente para conduzir a instrução prática dos dois esquadrões do Regimento de Cavalaria da Força Pública. O capacete atual é uma homenagem do Regimento de Cavalaria ao seu criador.

 photo DSC01874_zps2b982013.jpg

No Museu do Regimento 9 de Julho, o capacete original de Stattmuller.

 photo DSC04521.jpg

Abaixo vemos detalhes do capacete atual, fabricação artesanal e impecável da O. Filizzola - uma das mais tradicionais fabricantes de equipamentos militares paulistas.

 photo DSC04809_zpsd3cad4b6.jpg

 photo DSC04811_zpsee15a7c5.jpg

 photo DSC04820_zpsbce5a458.jpg

 photo DSC04812_zpsb055132a.jpg

 photo DSC04829_zpsb1e057ae.jpg

 photo DSC04828_zps249ccbe6.jpg

Em uma das laterais do capacete, uma das primeiras insígnias usadas no Brasil.

 photo DSC04818_zps613f4008.jpg

 photo DSC04822_zpse88343b8.jpg

 photo DSC04823_zpse30dfdc2.jpg

A riqueza de detalhes nas peças é absolutamente impressionante.

 photo DSC04825_zps42964eaa.jpg

 photo DSC04824_zpsc51d654c.jpg

A seguir dois momentos do uso deste belíssimo capacete, um deles no passado durante um sepultamento no Cemitério São Paulo com a presença do Governador Abreu Sodré a direita e de braços cruzados na foto, o jornalista e ex-combatente de 32, Paulo Duarte. A outra imagem é da guarda de honra em uma cerimônia no Obelisco do Ibirapuera.

 photo IMG_1515_zpse75d993c.jpg

 photo DSC01392_zps02ec4459.jpg

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Feira de antiguidades da Praça Benedito Calixto

Muita gente me pergunta como eu consigo encontrar tantas antiguidades paulistas para meu acervo. A resposta é sempre a mesma: Garimpando. Para encontrar ouro é preciso garimpar! E isso tem que acontecer nos lugares certos.

Um destes lugares é justamente a feira de antiguidades da Praça Benedito Calixto, no bairro de Pinheiros em São Paulo, que ocorre desde 1987 sempre aos sábados. Nas centenas de barracas é possível além de encontrar objetos antigos, conhecer especialistas das mais diversas áreas do colecionismo - É difícil não se surpreender assistindo senhores de barba branca dando verdadeiras aulas sobre figurinhas de futebol ou brinquedos antigos. A paixão pela história transita livremente por ali entre fotografias, documentos, porcelanas, esculturas, móveis e toda sorte de objetos.

Para dar uma pequena amostra aos leitores, resolvi neste último sábado sair para o garimpo acompanhado da minha fiel câmera fotográfica. O resultado vocês podem ver nas imagens a seguir. Obviamente dou destaque aos itens pertinentes a este blog, mas nas feiras de antiguidade você pode encontrar literalmente qualquer coisa!

 photo DSC02783_zpsb83d899d.jpg

 photo DSC04751_zpsf447fe38.jpg

Uniformes, medalhas e capacetes antigos podem ser encontrados com alguns vendedores especializados no tema. Com um mesmo expositor encontramos desde um capacete alemão da segunda guerra até uma curiosa "Carta de Cocheiro" emitida pela Prefeitura em 1922!

 photo DSC04685_zpscd9e1e7b.jpg

 photo DSC04703_zps0b8edbde.jpg

 photo DSC04698_zpsa22a58ff.jpg

Munição inerte de artilharia. O passar do tempo muda a função de uma terrível arma com alto poder de destruição para um singular objeto decorativo.

 photo DSC04691_zps757dd58e.jpg

Quem gosta da história de São Paulo não resiste a dar uma longa espiada nos itens de um comerciante que tem tantos ícones paulistas em exposição...

 photo DSC04724_zpsaca5c4c0.jpg

 photo DSC04713_zps78d343ee.jpg

Encontrei esta caneca do IV Centenário de São Paulo totalmente pintada a mão. Já tinha visto muitas peças com esta temática, mas esta era inédita para mim!

 photo DSC04709_zpsea5c7658.jpg

 photo DSC04714_zps1fa5c82e.jpg

Quem gosta de livros e documentos antigos vai encontrar muitos títulos raros e esgotados na feira. São inúmeras publicações com descrições e imagens de uma São Paulo que nossos antepassados viveram.

 photo DSC04729_zps5d52ecfc.jpg

Onde mais seria possível encontrar a partitura de uma valsa dedicada ao Viaduto do Chá?

 photo DSC04726_zps348c9cbb.jpg

Nas fotos abaixo vemos uma pequena amostra de verdadeiros tesouros para qualquer paulista interessado em suas origens.

 photo DSC04731_zps622bf10e.jpg

 photo DSC04732_zpscdff9e0b.jpg

 photo DSC04740_zps7fb255d5.jpg

Cartaz original da Campanha do Ouro de 1932.

 photo DSC04736_zpsa03d990b.jpg

 photo DSC04768_zps5ef4dc08.jpg

Em uma das extremidades da Praça Benedito Calixto a bela Igreja do Calvário domina a paisagem.

 photo DSC04772_zps041cd088.jpg

Na feira é possível pedir para se abrir uma vitrine e examinar em mãos o objeto desejado. Esse contato tão próximo com as antiguidades traz inúmeros colecionadores para o convívio da feira, que possibilita justamente a troca de informações e o constante aprimoramento do conhecimento - ferramentas essenciais a qualquer colecionador de antiguidades.

 photo DSC02768_zps490d9fdd.jpg

Capacetes de diferentes épocas e usos distintos. Um dos temas que é constantemente explorado aqui no blog.

 photo DSC04783_zps67f5649d.jpg

 photo DSC04787_zpscd59f2c4.jpg

Lâminas, espadas e espadins são uma área "nobre" do colecionismo de militaria. Peças que requerem cuidados especiais no manuseio e um bolso capaz de arcar com preços mais salgados - a recompensa porém vem em objetos que são capazes de contar muita história a quem se arrisca pesquisá-los.

 photo DSC04804_zpsc61f899a.jpg

A troca de informações sobre os detalhes minuciosos em casa peça é que torna o colecionismo de antiguidades uma verdadeira paixão para muitos. Uma pequena marcação de menos de 1 centímetro pode determinar se a peça é muito rara ou apenas comum.

 photo DSC04792_zpsf8d6df94.jpg

Nem só de espadas, capacetes e fardas vivem os antiquários. Brinquedos com mais de meio século na caixa e funcionando perfeitamente fazem a alegria de muito marmanjo por aí!

 photo DSC04798_zps0c1a4a2d.jpg

 photo DSC04806_zpsde9dbdd8.jpg