terça-feira, 1 de junho de 2010

Capacete de Pano

Esta sem dúvida alguma é uma das peças mais emblemáticas dos uniformes paulistas de 1932: A cobertura de tecido também apelidada de "capacete de pano".
Com seu formato peculiar, esta cobertura era utilizada com a aba para baixo (do jeito que vemos nas fotos) e também com a aba para cima, como podemos ver nestas imagens. Não raramente encontramos fotos da cobertura de pano sendo usada juntamente com o capacete de aço.

Neste exemplar extremamente bem conservado, ainda é possível notar na parte interna o carimbo do Regimento 9 de Julho. Não confundir com o atual Regimento de Cavalaria 9 de Julho, da Polícia Militar de São Paulo*

O Regimento 9 de Julho organizado durante a Revolução de 1932, viu combate no Setor Leste e dele fizeram parte as seguintes unidades:
3o, 4o e 7o Batalhões; Batalhão do Braz; Batalhão Veteranos de Campinas; Esquadrão de Cavalaria Newton Prado; Batalhão Francisco Glicério; Batalhão Raposo Tavares; 2o Batalhão de Justiça; 1a Cia da Legião Paulista; Batalhão Voluntários Professores; Batalhão Pinhalense e Guarda Civil.

Sendo assim esta peça pode ter visto ação em cidades como Eleutério, Itapira, Moji-Mirim...Hoje está conservada como testemunha daqueles dias. No próximo post veremos mais um objeto muito especial relacionado a Campanha do Ouro. Acompanhem!

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

* O atual Regimento de Cavalaria 9 de Julho da PMESP participou ativamente da Revolução de 1932 sob a designação de "Regimento de Cavalaria", oferecendo às nobres páginas da história de São Paulo nomes como os dos heróis General Júlio Marcondes Salgado, Ruytemberg Rocha e Sgt Ignácio Leopoldo de Camargo - entre muitos outros.
Recebeu a designação "9 de Julho" em 1955 como uma justa homenagem aos feitos de 32.
(Bibliografia: 1932 São Paulo a Máquina de Guerra de Mario Monteiro e Regimento de Cavalaria 9 de Julho do Ten Cel PM Ricardo Andrioli)