segunda-feira, 28 de junho de 2010

Lembrança dos combates no Túnel da Mantiqueira

Trago hoje uma curiosa e significativa lembrança dos combates que ocorreram no Túnel da Mantiqueira entre Julho e Setembro de 1932: Trata-se de um antigo cravo para fixação de dormentes de trilhos com aproximadamente 10cm trazido por um combatente como lembrança daquela batalha. Posteriormente ele foi afixado em uma base de madeira e foi adicionada a legenda de identificação.

Os paulistas defenderam bravamente esta posição enquanto foram atacados por duas unidades completas do Exército e mais de 1500 policiais mineiros. Foram aproximadamente noventa dias de combates neste setor, até dia 8 de setembro.

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Abaixo vemos o livro de Guilherme de A. Barros, "A Resistência no Túnnel" no qual a capa resume fantasticamente a atuação das tropas paulistas naquele setor. (Livro exposto na Galeria Jorge Mancini - AFPESP)

Photobucket

9 comentários:

  1. PELA LEI E PELA ORDEM!!!
    Aos heróis do Túnel da Mantiqueira q deram o sangue suor e a vida em prol da causa constitucionalista de 1932 deixo aqui mais uma vez registrada minha homenagem!!!
    OBRIGADO GUERREIROS!!!

    ResponderExcluir
  2. AH!!!Nesses combates tbm tombou o homem q hoje é uma lenda da Polícia Militar de Minas Gerais,o famoso Coronel Fulgêncio de Souza Santos,á época comandante do 8o Batalhão de Polícia Militar de Lavras-MG!!!

    ResponderExcluir
  3. Excelente trabalho, brava coragem de nossos guerreiros paulostanos. Meu avo tambem lutou nesta guerra, minhas sinceras homenagem a estes bravos soldados !! NON DVCOR, DVCO !!

    ResponderExcluir
  4. Olá, sou escritor e gostaria de comprar esse livro para estudos: " A resistência do Túnnel" pode ser uma cópia
    att
    Joeli Pimentel
    e-mail joelipiemnetl@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  5. À título de informação, os diatoriais efetuaram cinco tentativas para a desocupação do túnel e não tiveram êxito em nenhuma delas. Há no Arquivo Público Mineiro uma fotografia do coronel FPMG Edmundo Lery dos Santos, comandante da Brigada Sul mineira, cuja legenda diz ter sido ele o homem que expulsou os paulistas do túnel.Na verdade os constitucionalistas não foram expulsos daquele baluarte e sim, o abandonaram, de modo que quando os legalistas dele se apossaram em 12 de setembro de 1932, o mesmo já estava vazio.Em breve, estará em circulação o livro "O túnel da discórdia" (título provisório), de nossas autoria, sobre a história do túnel da Mantiqueira, projetado pelo engenheiro inglês Herbert Hunt e que chegou a ser considerado o segundo maior túnel da América Latina. Aliás, para a passagem da estrada de ferro, foram construidos 5 túneis na cidade de Cruzeiro.
    A fotografia acima, da locomotiva bloqueando a entrada do lado paulista do túnel é a primeira das três únicas que retratam o fato e foi colhida no dia seguinte à sua colocação.
    Finalmente, nos parece oportuna uma pequena retificação em um dos comentários acima. O tenente-coronel Fulgêncio de Souza Santos comandava o 7.o Batalhão de Caçadores Mineiros, de Bom Despacho. Na única foto do mesmo que conseguimos localizar, vê-se o n.o "7" em sua gola (podemos estar enganados e aceitamos contestação). Esta informação também consta do livro "A resistencia do Tunnel" (grafia respeitada), de Guilherme de Andrade Barros, à época juiz de direito na cidade de Passa Quatro.
    Att.
    Celso L. Pinho
    celsolpinho@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. reforço a intenção do comentario acima: onde consigo comprar o livro ou copia de A Resistencia do Tunnel??

    abraços


    André

    ResponderExcluir
  7. Prezados Joeli e André,

    Livros editados nos anos 30 podem ser encontrados em sebos especializados. Um bom local para a busca é no site da Estante Virtual. Grato,

    ResponderExcluir
  8. Gostei muito,sabendo que D . Pedro II criou esse túnel.Eu com apenas 10 anos já gostei muito

    ResponderExcluir
  9. EU ACHO BOM LEMBRAR DESSA HISTORIA

    ResponderExcluir