segunda-feira, 29 de março de 2010

Peças comemorativas do IV Centenário de São Paulo

Em 1954 uma série de festividades que culminaram com a entrega do Parque do Ibirapuera para a população marcaram o IV Centenário da cidade. Os veteranos combatentes de 1932 tiveram uma participação enorme nos desfiles e eventos por toda a cidade e o Movimento Constitucionalista foi amplamente lembrado e divulgado.

Muito material comemorativo foi produzido durante o período.
Hoje essas peças nos mostram um pouco das comemorações e o clima festivo vivido na época.

Abaixo uma medalha oca recheada com inúmeras fotos - produzida pela Brindes Pombo, que ficava na antiga Avenida Inajá em Moema (atual Avenida Lavandisca). Quem não se lembra da caixa d´água da Brindes Pombo visível da Av. Ibirapuera?

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Louças e algumas das muitas medalhas e broches comemorativos.

Photobucket

Photobucket

quarta-feira, 24 de março de 2010

Medalha da antiga GUARDA NOTURNA de São Paulo

Criada nos anos 30 para auxiliar a Força Pública e a Guarda Civil nos serviços de patrulhamento urbano noturno, a Guarda Noturna é mais um ícone de uma São Paulo de antigamente. Moradores e comerciantes pagavam uma mensalidade para a corporação que também recebia uma subvenção paga pelo Estado.
Ela acabou sendo extinta em 1954 pelo então Governador Lucas Nogueira Garcez, sendo seus quadros integrados na Guarda Civil.

Abaixo vemos a medalha de tempo de serviço e uma insígnia de uso no uniforme.
É fácil olhar estas peças e imaginá-las andando pela noite de São Paulo dos anos 30, 40...
Fragmentos de um tempo que não volta mais, da época dos nossos avós, da romântica e distante São Paulo de outrora.

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

sábado, 20 de março de 2010

Barra de Prata - CAMPANHA DO OURO

- No início da Revolução de 32 os bônus de guerra ajudavam a financiar a luta e eram bem aceitos, mas com as vitórias das tropas federalistas os bônus poderiam deixar de ter seu valor pago, então os revolucionários lembraram da campanha alemã na 1ª Guerra Mundial:
GOLD GAB ICH FUER EISEN – DEI OURO POR FERRO
Assim criaram a CAMPANHA DO OURO: DEI OURO PARA O BEM DE SÃO PAULO.

- A campanha arrecadou um total de 9.152.464$650 (em Réis) ou 120 Milhões de Cruzeiros (em dinheiro de 1951). Seria o equivalente a R$ 31.591.452,66 hoje em dia (atualização janeiro de 1951 a janeiro de 2010 tendo por base o índice IPC-SP FIPE)

- Com a Revolução irremediavelmente perdida, optou-se pela doação dos bens para a Santa Casa de Misericórdia (antes dos ditatoriais colocarem as mãos no dinheiro) e esta cuidou da fundição deste valor em barras de OURO E PRATA sendo que destas foram feitas 16 de OURO e 104 de PRATA em caráter comemorativo.

- Destas 104 de prata 4 delas foram doadas: Museu Paulista, Museu da Cúria Metropolitana, Associação Comercial de São Paulo e Museu da Santa Casa de São Paulo. As outras 100 foram vendidas juntamente com diplomas e o dinheiro arrecadado repassado ao fundo da Santa Casa.
Um parêntese muito interessante: Todos os 120 diplomas comemorativos foram impressos em papel do ano de 1797 com o selo do Império de Portugal.

- A barra mostrada abaixo é uma das 104 barras comemorativas em prata.

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Abaixo os dois volumes do Relatório da Campanha do Ouro, publicados em 1940.
Trata-se de um relatório completo com nome dos doadores, as quantias arrecadadas e o emprego de cada centavo arrecadado.

Photobucket

Meu avô aparece na página 647

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

segunda-feira, 15 de março de 2010

Raríssimo pin do Correio Militar do MMDC

Aqui está um dos raros exemplares do pin do Correio Militar do MMDC que sobreviveram a quase oito décadas de existência.

Esse pequeno pin era usado pelos mensageiros do MMDC durante a Revolução.
Esses mensageiros levavam o apoio das famílias ao FRONT e traziam de lá palavras de conforto para quem aguardava a volta de um combatente.
Abaixo vemos também o carimbo do Correio Militar em um cartão postal que meu avô enviou a minha avó, diretamente das linhas de combate em Vila Queimada.

Uma excelente matéria sobre o assunto pode ser lida no website da ABRAFITE:
http://www.abrafite.com.br/correio.htm

Photobucket

Photobucket

quinta-feira, 11 de março de 2010

Homenagem a antiga Guarda Civil de São Paulo

A Guarda Civil do Estado de São Paulo foi uma corporação uniformizada do Estado de São Paulo, criada para realizar o policiamento ostensivo das áreas urbanas do Estado. Foi instituída pela Lei nº 2.141, de 2 de outubro de 1926, no governo de Carlos de Campos, Governador do Estado de São Paulo de 1924 a 1927.

Os efetivos da Guarda Civil participaram ostensivamente da Revolução de 1932, e mais tarde durante a 2a Guerra Mundial formaram a primeira unidade de Polícia Militar do Exército Brasileiro, a atual Polícia do Exército. Abaixo algumas insígnias e capacetes desta corporação, que foi extinta pelo governo militar em 1970. Nessa ocasião a Guarda Civil foi incorporada a Força Pública dando origem a Polícia Militar.

 photo DSC02039_zpse247202b.jpg

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Abaixo um veterano da GC em desfile no 9 de Julho.

Photobucket

domingo, 7 de março de 2010

Anel e Pin

Uma das coisas que mais chama a atenção de qualquer pessoa que se interessa pela história e pelo material produzido durante a revolução de 32 é extamente a diversidade de peças produzidas. Abaixo temos dois raros exemplares: Um anel com o brasão de São Paulo (catalogado no àlbum Paulista) e um pin de propaganda aparentemente inédito até agora.

Photobucket

Photobucket

Photobucket

segunda-feira, 1 de março de 2010

Pins de Propaganda - Parte III

Vemos abaixo mais quatro pins produzidos durante a Revolução, destaque para o que traz a inscrição MORTE AOS DERROTISTAS, que certamente foi distribuído na fase final da luta armada quando a boataria e as informações desencontradas imperavam na cidade de São Paulo.
Outro pin interessante é o que traz o tatú, que virou símbolo daqueles que lutaram no Túnel da Mantiqueira.

Photobucket

Photobucket

Diploma de colaboração a Campanha do Ouro

Durante a Campanha do Ouro, além dos anéis e alianças simbólicas que já mostramos anteriormente, os doadores recebiam um diploma com seu nome e data da doação. A arte do diploma, de autoria de José Wasth Rodrigues foi um embrião do atual brasão de São Paulo.

Alguns colaboradores emolduravam o diploma com uma moldura que era vendida separadamente. Essa moldura traz um belo desenho de um bandeirante segurando nossa bandeira. Hoje em dia é muito difícil encontrar um diploma com essa moldura, e é exatamente essa peça que mostramos abaixo.

Photobucket

Photobucket