terça-feira, 15 de maio de 2012

Monumento na cidade de São Carlos

Trago hoje algumas imagens do belíssimo monumento aos Heróis de 32 localizado na Praça dos Veteranos na cidade de São Carlos. Infelizmente eu não estava com o equipamento adequado para fotografar quando passei pelo monumento e as fotos ficaram a desejar e não fazem jus a um dos monumentos mais bonitos da revolução. Em todo caso fica o resgistro aqui no blog.

Durante a revolução morreram oito voluntários de São Carlos: Luiz Rohrer do Batalhão 9 de Julho e Modesto Santana, Benedito Ferreira da Silva e Alípio Benedito do Batalhão Bento Gonçalves. Estes quatro encontram-se sepultados em São Carlos. Francisco Perotti, Henrique Junqueira Franco, José Cabral e Elydio Antonio Verona não foram sepultados na cidade.

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Um comentário:

  1. Linda São Carlos, pólo tecnológico! USP e UFSCar dão destaque ao município. No trecho Araraquara-São Carlos-Ribeirão Preto, o destaque para faculdades, universidades, escolas e cursinhos bastante frequentados. Nas três cidades existem monumentos MUITO bonitos da Revolução.
    O de Ribeirão lembra esse de S. Carlos.

    Vale a pena conhecer essas outras duas cidades, além de São Carlos.
    Ricardo, lembra daquele cartão postal em que o mapa de SP aparece em forma de coração? Eu uso aquela sua imagem (saibam, leitores, com AUTORIZAÇÃO do Ricardo) para minhas aulas e palestras. É interessante notar que figuram ali duas cidades onde trabalho: Jahu e Araraquara. Todavia, não aparecem Bauru (onde também trabalho), São Carlos e Ribeirão Preto. E, como sabemos, são cidades de destaque em suas regiões. Isso se deve à riqueza destacada em Jahu e Araraquara pela produção cafeeira entre o Império e a República.
    Por outro lado, são cidades que têm avenida com nome "Getúlio Vargas" ou "Presidente Vargas" -- ou seja, cresceram a partir daquele governo (seja de 1930-45 ou da fase populista). Jahu, por sua vez, não tem nem beco-sem-saída com o nome de Vargas, numa clara oposição de boa parte da elite deste município à Revolução de 1930 (muito embora a praça defronte à Matriz se chame "Siqueira Campos").

    Embora crentes, por momentos, na Revolução de 1930 e/ou no(s) governo(s) Vargas -- cada uma à sua maneira, homenageando tal período -- Jahu, Bauru, Araraquara, São Carlos e Ribeirão Preto contribuíram no sentido da luta pela constitucionalização do país.

    ResponderExcluir