segunda-feira, 26 de novembro de 2012

A Guarda Civil de São Paulo em 1932

Trago hoje aos leitores do blog, uma série de fotos inéditas da participação da antiga Guarda Civil de São Paulo durante a Revolução de 32. Este belíssimo acervo de imagens é do colecionador e pesquisador Sérgio Righi - que também mantém um site sobre a revolução neste link. Tenho certeza que os leitores irão gostar muito das imagens que trazem viaturas, blindados e equipamentos usados pela tropa.

Photobucket

Photobucket

Photobucket

No centro da foto abaixo, o Chefe da Polícia Civil de São Paulo, Dr. Thyrso Martins e sua senhora.

Photobucket

A oficialidade da Guarda Civil da cidade de São Paulo.

Photobucket

Photobucket

A Cia. de Bombardas comandada pelo Inspetor Chefe Pedro Kaufmann.

Photobucket

Photobucket

Detalhe das viaturas de transporte de tropas usadas no início dos anos 30.

Photobucket

Um dos blindados da Guarda Civil estacionado junto ao Viaduto Santa Ifigênia.

Photobucket

Photobucket

18 comentários:

  1. como era interessante aquele tempo a guarda prestava os suas missões com bravura hoje a guarda só sobrevive da politica está esquecida na memória do cidadão paulistano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mesmo com tantas dificuldades e tanto desprezo por parte daqueles q mais deviam nos apoiar,tenho orgulho de ser Guarda Civil Municipal e carregar em meu sangue a mesma garra e bravura dos meus antecessores da antiga Guarda Civil do Estado de São Paulo,querida amiga Kelly!!!

      SAUDAÇÕES AZUL MARINHO A TODOS!!!

      Antônio Marcos Júnior(Juninho)
      G.C.M. 3a Classe-São Caetano do Sul-SP

      Excluir
    2. AQUELA GUARDA CIVIL NADA TEM A VER COM AS ATUAIS GUARDAS CIVIS MUNICIPAIS. ERA UMA CORPORAÇÃO ESTADUAL DE POLÍCIA CUJA HISTÓRIA E MEMÓRIA FOI SISTEMATICAMENTE VARRIDA DA HISTÓRIA. IMPORTANTÍSSIMO ESTE TRABALHO DE RESGATE HISTÓRICO DA MELHOR CORPORAÇÃO POLICIAL QUE O ESTADO JÁ POSSUIU.

      Excluir
    3. Meu querido Matheus
      Esta atual Guarda Civil tem muito sim com a antiga , se formos fazer comparações veremos que ambas são hierarquizadas e civilizadas usam azul ( a cor internacional das policias) e mais tem aquilo que o cidadão paulistano precisa a simpatia e proximidade entre outras qualidades.
      Somos a policia municipal.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  2. João Marcos Carvalho26 de novembro de 2012 21:33

    Bela homenagem. Note, que entre as tropas combatentes de 32, a gloriosa Guarda Civil de São Paulo é a corporação que usava o uniforme mais alinhado. E assim, sem perder a pose, sua tropa, constituída em um "Batalhão de Bombardas", fez grandes estragos nas hostes inimigas.

    ResponderExcluir
  3. Será que temos lobystas se manifestando, as GCMS hoje estão diuturnamente em todos os municípios BRASILEIROS fazendo o verdadeiro policiamento comunitário, são bem aceitas pela POPULAÇÃO, pois não tem vícios, como a PM que no meu ver são instituições falidas, as GCMS não precisam se preocupar com o que os lobystas que não querem o crescimento das Guardas Civis pois brigam e querem o monopólio da segurança pública, nem mesmo com a própria policia civil existe harmonia, portanto, é só observar o artigo 78 do CTB, código tributário nacional, neste capitulo é o que se define poder de policia, mas os lobystas são contra, e se a GCM estar em evidencia é por que, quem deveria fazer o seu papel não faz.

    ResponderExcluir
  4. A Guarda Civil do Estado de São Paulo tinha uma história maravilhosa. Quando houve a fusão com a Força Pública, por interesse da Ditadura Militar, o comando passou para esta última, que impos sua organização e objetivos. Não podemos falar que as CGMS sejam a antiga Guarda Civil, mas ela tem muito da mesma. Talvez, se ela não tivesse tantos opositores, poderia se aproximar ainda mais do perfil da antiga Guarda. Há poucos anos, foi noticiada a luta de um Guarda Civil da antiga Guarda, Mauro, que lutava na nossa problemática "Justiça" havia mais de 50 anos contra uma comprovada injustiça que sofreu. Segundo consta, este processo ainda está para ser julgado, agora em Brasília, e os CGMS se mobilizaram pela causa deste irmão. Foi algo totalmente natural!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No Blog "Amigos da Guarda Civil" vcs acompanharão a saga do Guarda Civil Mauro Henrique de Queiróz,q foi vítima de uma injustiça comprovada inclusive pela própria vítima
      http://amigosdaguardacivil.blogspot.com.br/2011/06/familia-vai-recorrer-contra-condenacao.html

      Excluir
    2. Esta luta continua no Superior Tribunal de Justiça, Brasília, depois de 56 anos do ocorrido e vários recursos da família deste Guarda Civil, infelizmente, já falecido. Viva o Ideal Azul Marinho!

      Excluir
  5. Enquanto a Constituição Federal não atribuir a condição de polícia as GCM, corporações policiais elas não serão, em que pese o os valorosos serviços prestados por tais corporações municipais. O conceito de polícia é conceito legal, portanto, não há que se falar em polícia de fato. Entretanto, é indiscutível que as GCM detém parcela do poder da administração denominado "poder de polícia" que não é absoluto, por sinal, ninguém detém tal poder absolutamente, ou seja, cada órgão tem a parcela necessária para o desenvolvimento de suas atribuições legais. A extinta Guarda Civil de São Paulo, assim como a Força Pública Paulista, eram legalmente Corporações Policiais Estaduais, uma militar na acepção da palavra, a outra, embora de caráter civil, em razão de seus integrantes não estarem sujeitos as leis e regulamentos militares, era sim uma corporação paramilitar, ou seja, estruturada em caráter militar por integrantes civis. Ledo engano de quem acredita que o modelo policial militar remonta a década de 1960. Segurança Pública é assunto de extrema importância, e a muito renegado pelos governantes, precisamos sim de profissionais comprometidos com o mister, preparados e bem remunerados para tal, com isenção de vaidades e rancores. Ou bem ou mal quem diuturnamente esta nas ruas é a Polícia Militar, o telefone que todos se lembram é o de número 190. Como acontece em todos órgãos e poderes públicos, a Polícia Militar é composta por indivíduos fornecidos pela sociedade, razão pela qual desvios de conduta não é de sua exclusividade.

    ResponderExcluir
  6. O Ideal Azul Marinho é a visão de um tipo de polícia. A "Guarda Civil do Estado de São Paulo" conseguiu se aproximar muito deste ideal, mas foi infelizmente extinta há mais de 40 anos. Já as GCMS, apesar de terem sido criadas em outra época, e estarem ligadas aos municípios, também se referenciam pelo Ideal Azul Marinho.

    ResponderExcluir
  7. Sou filho e irmão de homens que vestiram com honra a farda azul marinho da Guarda Civil. Restou apenas a saudade de um tempo de gloria. Tempo em que a sociedade respeitavam aqueles que bravamente estavam ao seu lado. Homens de confiança, poliglotas que não usavam armas, a não ser, inteligencia e respeito para com todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente com você, Paulo, a questão não era truculência e sim, inteligência, cultura, o guardião local, amigo, que educava os cidadãos e os jovens, enquanto hoje temos homens espalhados por aí, sem o apoio de um comando evoluído e moderno, que poderia instalar uma filosofia humanista, educativa, preventiva, antes de qualquer coisa. Para as Guardas Civis, é importante aceitar críticas construtivas, travar um debate democrático com a população, no sentido de aperfeiçoar-se e não sair logo se defendendo, como se tudo fosse perfeito.

      Excluir
  8. As famílias de Guardas Civis devem se unir em defesa da história da "Guarda Civil do Estado de São Paulo" e de seus homens. Ao fazer isto, não estaremos defendendo somente o ideal de nossos pais, ou avós, antigos membros desta corporação, mas, também, estaremos oferecendo uma real opção de polícia para nossos filhos e netos.

    ResponderExcluir
  9. Eu tive a honra e orgulho de vestir a farda "uniforme azul marinho" DA GUARDA CIVIL DO ESTADO DE SÃO PAULO, de l959, até sua integração com a Força Pública de SP, quando então surgiu a atual Polícia Militar do Estado de São Paulo. Tive e tenho muito orgulho de ter sido um Guarda Civil do Estado de São Paulo São Paulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns, amigo, por ter pertencido a gloriosa "Guarda Civil do Estado de São Paulo"!

      Excluir
  10. Para que não tem conhecimento, o Excelentíssimo Prefeito Jânio Quadros quando criou a Guarda Civil Metropolitana de São Paulo em 1986 convidou o Cel EB Ávila, que por sua vez trouxe reservistas de diversas organizações militares, devido ao curto espaço de tempo para cumprir uma missão tão grandiosa (período de 3 anos), criar ma instituição e implantar sua ação / atividade na cidade de São Paulo, tomando-se como referência, as polícias metropolitanas. Para o êxito desta missão, muitos integrantes reservistas de outras organizações foram convidados a fazer parte do primeiro corpo de oficiais e graduados da GCM, tivemos instrutores Inspetores e Graduados que fizeram parte das fileiras da extinta Guarda Civil de São Paulo (integrantes que eram da reserva da PMESP), oficiais e graduados da reserva das Forças Armadas, Oficiais R2 EB, e nas instruções que recebíamos a essência e filosofia do Guarda civil era transmitida a nós por estes profissionais que viveram a Guarda Civil, o nosso lema é baseado nesta grandiosa corporação, "Aliada, Amiga e Protetora" da população, os exemplos que nos eram passados, a forma de se relacionar com a população, a educação, o garbo com o uniforme, o respeito ao cidadão, uma instituição amiga do cidadão, que atua de forma preventiva, transmitindo confiança á população, atravessando as crianças nas ruas das escolas, orientando os cidadãos, enfim, vivenciando o lema de aliada, protetora e amiga da população. Acredito que quem viveu este período 1985, 1986, 1987, anos iniciais da criação e formação da GCM pode falar com mais propriedade e conteúdo.
    Um abraço a todos (as)!

    ResponderExcluir
  11. Os contra as Guardas são em absoluto os coronéis, que não querem largar o osso e continuarem roendo comandando as GMs e Defesas Civil pelo Brasil a fora.Olhemos o modelo Norte Americano, Francês, Espanhol e Europa a fora, a policia militar só reina na miserável america do sul, claro, criada pelos ditadores para o apoiarem em suas tiranias. Em quanto permanecer esse pensamento mesquinho e lobista dos altos escaloes da pm a segurança publica no Brasil continuará a ser esse caos. Vamos aos exemplos: Jundiai com aproximadamente 400 mil habitantes e 600 mil que transitam diarimente por seus termos possui uma Polícia Municipal(GM) forte e respeitada, nascida em 1949, atualmente com 400 integrantes prendem mais flagrantes que a policia do estado. Americana e Sumaré seguem o ótimo exemplo. Indaiatuba a GM reina absoluta, não ha praticamente pm por lá. Agora, pós Estatuto Geral das GMs acabou a festa dos coronéis de morderem um ossinho e sucatearem-na. Tremendo avanço. Os coroneis agora querem usurpar a PC, quem diria, quanto inconstitucionalidade e mediocridade por parte da PM. Concluo explanando minha singela remuneração ( 2 anos de Gm Jundiai) que se iguala a um sargento de uns 20 e poucos anos de farda. Abç sangue azul. Viva o Brasil. Em prol da população e não do próprio ego.

    ResponderExcluir