quinta-feira, 12 de março de 2015

Distintivo da Rádio Record

Garimpando no mercado de antiguidades consegui este distintivo da Rádio Record, que foi a "voz da Revolução de 1932" no rádio. Vejamos este interessante texto abaixo:

Em 23 de maio de 1932, os manifestantes paulistas resolvem se chocar contra os membros da Legião Revolucionária (transformada no Partido Popular Progressista, sob a liderança de Miguel Costa). Ali, bem em frente à Praça da República, são mortos 4 manifestantes: Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo. Os estudantes que formaram a sigla "MMDC", o grande símbolo das campanhas revolucionárias dali para frente.  
Só que sobre este fatídico episódio, poucos se lembram que aconteceu na mesma Praça da República, defronte ao número 17, onde se localizava na época a Rádio Record, de Paulo Machado de Carvalho. Deste esta hora a mídia radiofônica estava presente. É bom lembrar que antes das manifestações aconteceram o primeiro passo destes estudantes foi a invasão dos estúdios da Rádio Record, chegando até a sala de Paulo Machado de 
Carvalho e ordenando que o mesmo colocasse no ar a leitura de um abaixo-assinado. A Rádio Record teve que aderir, querendo ou não, à causa. E assim foi dito no ar: 
"- Nós, os abaixo-assinados, declaramos que invadimos, à valentona, os estúdios da PRB-9 Rádio Record de São Paulo, e conclamamos o povo para que se mude a situação política existente no Brasil."

 photo DSC05032_zpsy6ppwnwc.jpg

Na imagem abaixo a sede da Rádio Record na Praça da República.

 photo DSC05035_zpszene0erf.jpg

Waldemar Ferreira, um dos dirigentes do M.M.D.C. falando ao povo de São Paulo através da Rádio Record.

 photo DSC05038_zpslolgzmvu.jpg

Um comentário:

  1. João Marcos Carvalho23 de março de 2015 13:08

    Em 1982, Nicolau Tuma, legendário locutor da Rádio Record, me concedeu entrevista publicada no Jornal da Tarde daquele ano. Tuma contou que, ao invadir a emissora naquele 23 de maio de 1932, os jovens estudantes o intimaram a procurar na discoteca uma música empolgante que mexesse com os brios do povo. "Me lembrei de uma marcha gravada pela banda do exército francês em homenagem a uma incursão militar feita pelos franceses entre Paris e Belford durante a Primeira Guerra Mundial. Botei o disco para que eles ouvissem, e, imediatamente, a marcha foi aprovada e virou o hino da revolução".

    ResponderExcluir