segunda-feira, 1 de agosto de 2016

1970 A guerra no Vale do Ribeira por Celso Luiz Pinho

Já se tornou uma agradável tradição anual a leitura de um livro do Celso Luiz Pinho.
Agora o autor nos leva até o ano de 1970, no Vale do Ribeira, onde os militares conduzem uma operação para buscar e destruir células terroristas ali entocadas. É uma guerra cruel e brutal.

Novamente trata-se de um tema controverso, pois os personagens desta guerra são heróis para alguns e bandidos para outros - porém o livro é escrito com rara imparcialidade, permitindo que o leitor tire suas próprias conclusões. Outro ponto forte do livro (e de todos os livros do autor) é a capacidade de trazer um texto objetivo e ao mesmo tempo recheado de informações inéditas fundamentadas em sólida pesquisa, não em "ouvir dizer" como vemos em tantas obras da atualidade.

Talvez a narrativa lógica do livro seja favorecida pelas visitas que o autor faz aos locais onde se desenrolaram os fatos. Temos por exemplo a oportunidade de conhecer Eldorado - local de um combate travado entre o terrorista Lamarca e a Força Pública do Estado de São Paulo. Mesmo quarenta e seis anos depois é possível olhar para as ruas de Eldorado e imaginar o que se passou ali naqueles dias tão conturbados.

Vamos aguardar ansiosamente qual será o tema do próximo livro, sabendo que nossa história recente tem tanto assunto para contar!

Para adquirir o livro acesse o site da Editora Gregory www.editoragregory.com.br


 photo IMG_0519_zps6wjfykj3.jpg

Acesse abaixo nossas resenhas sobre os livros deste autor:
"Cabanas"
"São Paulo 1924"
"1932 O Túnel da Discórdia"

 photo IMG_1637_zpsys3gsfzm.jpg

2 comentários:

  1. Bom dia!

    Sou filho do Soldado PM Antonio Alves e sobrinho do Saldado Áureo Honorato Alves. Estava, junto com alguns amigos, a 50 metros do local do tiroteio ocorrido naquela " Uma negra Sexta feira" e, nesta condição gostaria de testemunhar que,os fatos como narrados naquele capitulo do livro, são absolutamente verossímeis. Excelente registro histórico...li-o de uma só sentada.
    Atenciosamente,

    GILMAR GILBERTO ALVES

    ResponderExcluir
  2. Já li diversos livros sobre o mesmo assunto, mas em nenhum deles encontrei tanta riqueza de detalhes. No capitulo que narra a morte do tenente, até parecia que eu estava vendo a cena. Livro muito bom. Parabéns ao autor.

    ResponderExcluir